"Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". (João 16.33)

Archive for Abril, 2013

A fome que chega, a fome que sai

Interessante pensar nas coisas simples da vida e como elas ensinam, de maneiras especiais, elementos basilares que constrói nosso caráter na vida que levamos. Assim, como um vento sutil, uma brisa morna do meio dia de qualquer outono, aquilo cria raízes em nosso ego.
Então paramos pra analisar sobre o estado da fome. Sim, quero falar daquela fome que bate lá no fundo do estômago e chega a doer no umbigo. Aquela sensação ruim, quiçá de desespero, que faz nossos olhos, nosso nariz e nosso tato sair em busca de algum alimento que sacie esse fome.
A questão é: que nível de fome estamos sentindo agora?
Há de convir comigo que quanto maior está a fome, maior também é a sua busca pelo alimento. É tanto que chegamos a parar o que estamos fazemos na mesma hora e dizer “saco vazio não pára em pé!”, e saímos então para matar quem nos mata a fome.

20130412-200950.jpg

Mas, e a fome espiritual? E a fome da presença de Deus? Jesus diz no deserto para a Satanás que acabara de tentá-lo que “não só de pão viverá o homem, mas também de toda palavra que procede da boca de Deus”, lembre-se que Jesus estava no final de um jejum de 40 dias e tinha muita fome mesmo. Jesus ali no deserto deixa claro que a fome espiritual também é fundamental, e saciá-la depende exclusivamente em nos dedicarmos em ouvir a voz de Deus, que sabemos que vem através das nossas individuais orações e da leitura da palavra de Deus.
Então a nossa fome do corpo expressa a fome que também temos no espírito. Mas a pergunta que deixo para vocês é: a mesma importância que você dá em saciar sua fome do corpo é a mesma que você dá em saciar a fome do espírito?

Pare o que estiver fazendo, saia em busca da comida espiritual e sacie-se. Quem come da carne, que é Jesus, nunca mais terá fome!

Nuvem de etiquetas