"Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". (João 16.33)

Os acontecimentos de uma longa vida são reflexos e consequências de nossas escolhas. Com isso, escolhemos ao longo de nossas dias aonde iremos trabalhar, aonde frequentamos, com quem nos relacionamos, com quem manteremos amizade. Enfim, somos aquilo que fazemos, somos frutos de nossas próprias escolhas.

E, por muitas vezes, iremos arrepender de escolhas erradas, pessoas que passaram na nossa vida e que poderiam gerar frutos de amizade e de família, mas que por descuido das oportunidades (talvez pelo cego olhar do mundo cotidiano) deixamos passar despercebidos.

A verdade é que existe um sentimento, no qual apenas o idioma português possui uma palavra em especial para ele, e este sentimento tem nome: saudade. Tal sentimento é cruel e impiedoso, eu diria até covarde, pois a ele damos sustentação constantemente, pois a saudade é um sentimento cíclico, e para cada vez mais que retomamos nossa atenção a ele é incrementado mais um pouco até o ponto infinito. Saudade não tem limite. Saudade não tem forma. Apenas dói.

Mas dizendo assim, é possível que você chegue a pensar que saudade é algo ruim. E não é.

O prazer de sentir saudade é ao cunho de sua formação o mesmo prazer de quando não havia a saudade. É paradoxal e lindo. Eu sinto saudades de alguém, logo penso como era bom estar com essa pessoa, logo sinto a presença, o cheiro e chego a escutar a voz. Eu sinto saudades de algo, logo penso em suas cores, formas, texturas e como se o imaginado tomasse forma física. Porém, saudade é nostálgico. Viver pela saudade não causa a extinção do nosso desejo.

Sentir saudade é gostoso, persistir na saudade é doloroso, e persistir na saudade é um erro.

Sinto saudades das cosias e das pessoas constantemente, e faço o que posso para suprimi-la, as vezes com um telefonema, as vezes com um e-mail, as vezes de joelhos frente a túmulo.

Saudade é clamada pelo coração, suplicada pela alma, e atraída pelo desejo incontrolável da perda…

Comentários a: "Quando um coração clama pela saudade…" (2)

  1. Anitinha* said:

    Saudade, nostalgia… sentimento que nos acompanha o tempo todo, ne? Sim, viu generalizar.

    Sinto saudade da minha terra, da minha gente, do meu passado de lutas, dificuldades e de glorias. E confesso que isso me faz bem.
    Sinto saudade do que vivi e até do que não vivi.
    Saudade…

    Há quem possa traduzir em palavras esse sentimento, deixo por conta do ”mestre” Fernando Pessoa:

    “Eu amo tudo o que foi
    Tudo o que já não é
    A dor que já não me dói
    A antiga e errônea fé
    O ontem que a dor deixou
    O que deixou alegria
    Só porque foi, e voou
    E hoje é já outro dia.”

    em tempo…( e logo!)
    Cheab… SAUDADE de ler o que vc escreve! Parabéns man!
    Abraços meus de longe, aqui da terra da garoa e cheia de sSAUDADE da MINHA TERRA! rs..

  2. Joao Paulo Cheab said:

    O mestre Casimiro de Abreu também dizia com muita emoção sobre saudade no seu imortal poema “Meus oito anos”. http://poemasdomundo.wordpress.com/2006/06/14/meus-oito-anos/

    Que bom ter uma leitora tão fiel como você!!!
    😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: